Como são fabricadas as lentes oftálmicas?

Das lentes de resina às lentes de cristal da ZEISS, tudo o que você precisa saber sobre a produção de lentes oftálmicas.

As lentes são a parte mais importante dos óculos e permitem que você desfrute de uma boa visão, mas percorrem um longo caminho antes que você possa usá-las. MELHOR VISÃO explica como são feitas as lentes de cristal e as lentes de resina: de que são feitas as lentes e o que diferencia exatamente as lentes personalizadas das lentes pré-fabricadas?

É de se esperar que a fabricação de lentes oftálmicas comece com uma visita à ótica. O profissional responsável analisa a sua receita e cria um perfil de visão exclusivo. Em seguida, as lentes oftálmicas adequadas são selecionadas e é realizada uma medição para determinar o posicionamento das lentes nas armações de sua preferência. São fatores importantes cujos dados devem ser transmitidos ao fabricante para que ele possa produzir lentes personalizadas e otimizadas especialmente para você. O que acontece a seguir? Como a análise da visão dá origem a lentes modernas e personalizadas? Primeiro, são fabricadas lentes semiprontas. Aqui você pode escolher entre dois materiais: resina (também conhecido como vidro orgânico) e vidro “verdadeiro” (também conhecido como vidro mineral). Estes dois materiais constituem a base para a criação das lentes oftálmicas.

O processo de fabricação das lentes

Existem basicamente dois processos diferentes; independentemente do fabricante, quase todas as lentes de precisão personalizadas (também conhecidas como lentes de prescrição) são criadas usando a tecnologia freeform. Trata-se de uma técnica de fabricação inovadora desenvolvida pela ZEISS, licenciada desde então por todo o setor de lentes oftálmicas.

Ao contrário das lentes de prescrição, as lentes pré-fabricadas são produzidas através de um processo de fundição. Existe uma diferença entre estes dois tipos de lentes oftálmicas: o profissional de óptica normalmente opta por lentes padrão quando se trata de óculos simples e acessíveis, como óculos de leitura, ou quando o usuário precisa substituir suas lentes rapidamente. Ao contrário das lentes de prescrição, elas são fabricadas em grandes quantidades e não individualmente. As lentes padrão são perfeitamente adequadas para uma correção normal da visão, mas não oferecem o mesmo nível de desempenho que as lentes de precisão personalizadas. Para produzir estas últimas, o profissional de óptica cria um perfil visual detalhado e abrangente do usuário, que servirá como base para a fabricação das lentes oftálmicas.

Criando lentes personalizadas em apenas nove passos

1. Preparação

Hoje em dia, o processo de fabricação de lentes oftálmicas é amplamente automatizado. Depois que o profissional de óptica envia o pedido de lentes do paciente para a ZEISS, começa a primeira etapa de produção: a lente personalizada é calculada e os dados necessários para a sua fabricação são disponibilizados. É atribuído um código de barras para cada pedido, de modo que os dados necessários para o processamento da lente possam ser identificados em cada estação em tempo real e, em seguida, enviados para a estação de processamento específica.

Dependendo da receita, as lentes semiprontas são automaticamente selecionadas no depósito. As lentes semiprontas para o olho esquerdo e o olho direito já possuem grau na superfície externa. Para criar a lente da receita do usuário, somente a superfície interna da lente é trabalhada utilizando a tecnologia freeform da ZEISS. As lentes semiprontas, também conhecidas como “discos” devido à sua forma, são automaticamente retiradas do depósito e colocadas em uma bandeja. É então que começa a sua jornada: a esteira transportadora conduz a bandeja de uma estação à outra até que, por fim, as duas lentes oftálmicas estejam prontas.

Preparação

2. Bloqueio

O passo seguinte é o bloqueio. Nesta etapa, um tratamento de proteção é aplicado na superfície da lente. A lente semipronta é então fixada ao que chamamos de “bloqueador”. É uma etapa necessária para que a lente fique bem presa e seja devidamente processada nas máquinas.

Bloqueio

3. Produção

Após o bloqueio, a lente é moldada com o formato e a receita desejados. Com a tecnologia freeform da ZEISS, a superfície externa da lente semipronta já possui grau corretivo quando é retirada do depósito. Apenas a superfície interna ainda precisa ser trabalhada e moldada especificamente para o usuário. Para isso, é utilizado um método CNC de 5 eixos que cria a forma e a receita corretas para o usuário em cerca de 90 segundos. Basicamente, são executados três passos diferentes no espaço de um minuto e meio: a lente é endurecida, moldada em uma forma geral e, em seguida, dezenas de milhares de pontos de corte são definidos usando um diamante natural. Este método permite ao fabricante personalizar livremente a superfície óptica utilizando a tecnologia freeform.

Produção

4. Polimento e gravação

Durante o polimento, a superfície de cada lente é polida, mas as suas propriedades ópticas permanecem inalteradas. Uma superfície perfeita é importante para a aplicação de tratamentos modernos que não se separam da lente. Cada lente ZEISS recebe uma assinatura própria especial: um "Z" quase invisível é gravado na lente utilizando laser. Esta marcação posicionada de forma precisa é importante para a garantia da qualidade e a afixação de um carimbo que posteriormente auxilia durante a retificação e a centragem das lentes.

Polimento e gravação

5. Desbloqueio e limpeza

A lente é agora desbloqueada, ou seja, é cuidadosamente removida do bloqueador. Uma vez que a liga metálica que fixa a lente ao bloqueador derrete um pouco abaixo dos 50 °C, basta mergulhá-la em água quente. Em seguida, as lentes são limpas, tal como um carro na lavagem automática: utilizam-se escovas, diferentes agentes de limpeza e água ultrapura (especialmente tratada) para remover resíduos das lentes e prepará-las para o tratamento. Depois desse processo, as lentes são secas com um secador. A proteção ambiental é um princípio adotado em todas as instalações de produção: materiais como a liga de metal são tratados e reutilizados e a água necessária para a produção é reciclada de forma ecológica.

Desbloqueio e limpeza

6. Coloração

Nesta fase, as lentes recebem uma tonalidade caso solicitado. As lentes de resina são colocadas em um lote para receber um banho de coloração, enquanto nas lentes de cristal as tonalidades são aplicadas em camadas de óxido de metal.

Nas lentes de resina são usadas cores têxteis que não representam qualquer risco para a saúde humana nem para o meio ambiente. Este processo exige uma enorme destreza: uma vez que cada lente é fabricada individualmente e a ZEISS disponibiliza tonalidades em qualquer cor, é necessária muita experiência para conseguir a tonalidade “certa”.

Coloração

7. Tratamento

Esta é a etapa final do processo de fabricação e também a mais exigente do ponto de vista tecnológico: a aplicação do tratamento na lente oftálmica. Os tratamentos tornam as lentes mais duradouras e resistentes a riscos, ajudam a garantir uma visão nítida no vento ou em mau tempo, repelem a sujeira, reduzem os reflexos incômodos e oferecem muitos benefícios funcionais, como quando se está dirigindo ou trabalhando em frente ao computador. Ao contrário das lentes de cristal, as lentes de resina não são suficientemente resistentes a riscos por si só. Por isso, as lentes de resina ZEISS recebem, impreterivelmente, um tratamento duro adequado para protegê-las dos riscos. Ele é aplicado na lente de resina sob a forma de verniz durante o processo de imersão, endurecendo-a. Existem vários vernizes especialmente personalizados e a escolha depende do tipo de plástico e da espessura da lente. Após a limpeza ultrassônica, o tratamento seguinte é adicionado em camadas antirreflexo mediante um processo de deposição a vácuo - e estamos realmente falando de camadas, porque uma lente moderna pode receber até nove camadas. A camada final do tratamento confere à lente uma superfície extremamente lisa, tornando-a especialmente resistente à sujeira e à água. Você pode consultar aqui mais informações sobre os tratamentos de lentes.

Tratamento

8. Garantia de qualidade

As lentes estão quase prontas, mas será que cumprem os rigorosos requisitos de garantia de qualidade da ZEISS? De forma a garantir isso, cada lente é cuidadosamente inspecionada antes da entrega. É realizada uma inspeção visual para verificar a presença de poeira ou dano, além de uma inspeção mecânica para assegurar que cada lente atenda às especificações necessárias. As dioptrias, o eixo, o cilindro, a espessura, o desenho e o diâmetro estão corretos? Se a lente estiver perfeita, é então “carimbada” na etapa final. Este selo de orientação é utilizado para alinhar a lente e para ajudar o profissional de óptica a inseri-la na armação com precisão. O selo é removido quando os óculos estiverem prontos e forem disponibilizados ao cliente.

O Z de ZEISS só é gravado quando todos os passos da garantia de qualidade tiverem sido concluídos com sucesso e a lente apresentar a qualidade ZEISS. O Z é a nossa assinatura, a nossa promessa de qualidade inscrita em cada lente.
E quem quiser uma inscrição exclusiva nas lentes, pode pedir para gravar as suas iniciais!

Curiosidade: sabia que no departamento de coloração da ZEISS só trabalham mulheres? O motivo: as mulheres costumam ter uma melhor visão das cores do que os homens, razão pela qual são muito eficazes na identificação de pequenos desvios.

Garantia de qualidade

9. Montagem

Normalmente é o profissional de óptica quem realiza a montagem, ou seja, a colocação das lentes nas armações. No entanto, a ZEISS também pode fazer isso caso solicitado. Este processo exige uma precisão micrométrica, uma vez que apenas lentes com um ajuste perfeito podem oferecer uma correção perfeita da visão.

Montagem

Como são fabricadas as lentes padrão e as lentes semiprontas?

As lentes padrão e as lentes semiprontas orgânicas são produzidas por meio de um processo de fundição: ingredientes especiais, como ingredientes para melhorar a absorção UV, são adicionados aos materiais líquidos denominados monômeros. Esta mistura é vertida nos moldes, endurecida e, em seguida, processada para reduzir a tensão residual. A lente semipronta está então pronta para uso. Se for utilizada como lente padrão, é aplicado um tratamento duro e, se solicitado, tratamentos adicionais.

O processo é ligeiramente diferente para as lentes semiprontas feitas de vidro: primeiro, materiais naturais como o quartzo, o carbonato de potássio, o sódio e o óxido são derretidos entre 1.400 °C e 1.500 °C para formar uma mistura de vidro. Essa mistura é prensada em forma de um bloco redondo de vidro com espessura entre um e três centímetros. A superfície externa é processada no passo seguinte. É utilizada uma ferramenta de retificação com diamante para conferir à lente o formato exato conforme a receita, enquanto o polimento confere a transparência necessária. Temos agora uma lente incolor semipronta que já foi retificada de um dos lados.

Produção de lentes bifocais orgânicas e de vidro

As lentes bifocais são um tipo de lente oftálmica com um campo visual para objetos a curta distância e um campo visual para ver ao longe. Elas podem ser feitas de vidro ou de resina, sendo que o processo de fabricação varia enormemente dependendo do material. Com as lentes bifocais de vidro, é integrada uma lente adicional na lente semipronta em que a metade superior tem o mesmo grau da lente principal, enquanto a zona inferior para a visão de perto é mais forte. Primeiro, a superfície interna da lente adicional é retificada e polida. Em seguida, é colocado um lado curvo no recuo existente da lente principal. A lente adicional é então derretida e retificada juntamente com a lente principal até que uma única lente fique visível. A lente bifocal semipronta é submetida a um processamento subsequente, no qual as superfícies interior e exterior são retificadas e polidas.

A fabricação de lentes bifocais de resina é significativamente menos complicada. Ao contrário das lentes bifocais de vidro, o grau da zona para a visão de perto não requer uma lente adicional. Em vez disso, a zona em questão é mais curva. Esta curvatura é obtida utilizando um molde no qual a lente semipronta é vertida.

Como são produzidas as lentes progressivas

O fator decisivo para a produção de lentes progressivas é saber qual a sua finalidade: será que o usuário tem demandas especiais (por exemplo, trabalha em frente ao computador)? Ou as lentes serão usadas para realizar atividades normais do dia a dia? Para calcular o desenho de uma lente, leva-se em conta um grande número de fatores, como uma equação matemática com centenas de variáveis desconhecidas. Por isso, não é de admirar que a fabricação de uma lente seja uma tarefa complexa. Aqui, uma máquina retificadora especial confere à lente semipronta o desenho calculado. As lentes progressivas são otimizadas em várias fases de testes antes de serem lançadas e da produção em série ser iniciada. O desenho das lentes progressivas é sistematicamente modificado e são feitos pequenos ajustes até que os primeiros protótipos da lente estejam disponíveis. Durante os testes de utilização, as lentes são postas à prova para assegurar a sua tolerabilidade. A produção em série e a comercialização só terão início quando esses usuários estiverem satisfeitos com o desenho da lente.

Um ajuste personalizado: lentes únicas como você

Sem dúvida que as lentes standard são mais do que suficientes para muitas actividades e diferentes problemas de visão. No entanto, uns óculos perfeitamente adaptados ao utilizador podem oferecer muito mais. Por exemplo, embora as lentes standard se ajustem ao centro ótico de cada olho, o alinhamento das lentes diante do olho não é tido em conta durante a montagem, quaisquer que sejam as armações. Quanto mais parâmetros do utilizador forem integrados na produção das lentes – por exemplo, a forma como este olha através dos óculos – mais preciso será o fabrico, assegurando uma visão perfeita e natural. Para conseguir isto, o ótico precisa de identificar muitos outros parâmetros faciais importantes para além do centro ótico – e todos eles com uma precisão de um décimo de milímetro. Quanto mais informação o ótico dispuser acerca do utilizador, mais precisa será a optimização do desenho das lentes ZEISS. O ótico poderá também utilizar equipamento de medição ZEISS, porque ajuda a evitar erros na transferência de dados.

Uma visão natural e confortável só é possível quando se consegue a perfeita harmonia entre as armações, as lentes, as necessidades individuais de visão e o formato do rosto do utilizador, especialmente em pessoas idosas ou com problemas de visão menos comuns. A tecnologia ZEISS freeform reúne um grande número de dados pessoais relativos ao utilizador das lentes oftálmicas. Graças a complexos cálculos matemáticos, esta tecnologia permite criar lentes com um fabrico e um ajuste tão precisos para que o utilizador beneficie de uma visão perfeita com as armações que escolher. Desta forma, é possível desfrutar de uma visão nítida no maior campo visual possível a diferentes distâncias bem como de uma excelente tolerância de utilização. As diferenças entre lentes individualizadas e lentes standard são mais significativas quanto mais complexa e singular for a situação.

Perfil da minha visão Identifique agora seus hábitos visuais pessoais e encontre a melhor solução em lentes para você.
Encontre uma ótica ZEISS perto de você.

Artigos relacionados

Como reconhecer problemas de visão Miopia, hipermetropia, astigmatismo etc. – quais são os problemas visuais e como corrigi-los?
Deficiência vermelho-verde, cegueira para vermelho e verde e cegueira total das cores Quais são os tipos de cegueira e deficiências para cores? Como reconhecê-las?

Compreendendo a Visão 29/11/2017

Tags:

A história dos óculos De suas origens como "pedras de leitura" a acessórios de estilo de vida.
Melhor Visão para pessoas mais velhas Normalmente, qualquer pessoa com mais de 40 anos necessita de um par de óculos. Lentes de adição progressiva podem restabelecer a visão 20/20.

Produtos relacionados