A óptica oftálmica atualmente: Como a consulta óptica mudou nos últimos 10 anos

Volker Meyer e Heinrich Rath da Universidade de Aalen, na Alemanha, falaram com a MELHOR VISÃO

No séc. XIII, monges italianos improvisaram os antecessores de nossos óculos modernos a partir de lentes parcialmente polidas feitas de cristais de berilo encontrado nas montanhas. Muita coisa mudou desde essa altura no que respeita ao desenvolvimento de soluções de visão. Os problemas de visão podem ser resolvidos de formas mais personalizadas do que nunca e os métodos de medição são cada vez mais precisos. Mas quais são os últimos desenvolvimentos e tendências na área da óptica oftálmica? Para encontrar a resposta, a MELHOR VISÃO perguntou a dois professores que ministram o curso de óptica oftálmica na Universidade de Aalen, na Alemanha.

A óptica oftálmica atualmente: Como a consulta óptica mudou nos últimos 10 anos

Volker Meyer, mestre óptico oftálmico, dirige seu próprio negócio em Bruchköbel (perto de Frankfurt am Main, Alemanha) desde 1995. É professor na Universidade de Aalen há dez anos, onde ensina administração comercial, marketing, bem como consultoria e vendas. Também é instrutor na Academia Zeiss e chefia vários grupos de trabalho que oferecem aos ópticos oftálmicos profissionais uma oportunidade para falar sobre a sua experiência.

MELHOR VISÃO: Sr. Meyer, Sr. Rath, o que mudou, nos últimos dez anos, na profissão de óptico oftálmico? De que maneira o treinamento mudou?


Volker Meyer:
É importante notar que a óptica oftálmica se tornou um campo diferenciado nos últimos dez anos. Por um lado, os óculos estão constantemente sendo vendidos a preços cada vez mais baixos, por outro lado, os ópticos oftálmicos profissionais estão se especializando e oferecendo qualidade de topo, bem como soluções de visão sofisticadas e personalizadas. Podemos observar desenvolvimentos semelhantes em outras áreas de produto.


Uma segunda tendência é o fato de alguns ópticos oftálmicos estarem mais empenhados na moda, enquanto outros se especializam mais na tecnologia de lentes para óculos, ou seja, na optometria.


Heinrich Rath:
É possível a especialização na tecnologia de lentes para óculos a este nível, porque o equipamento vem sendo aperfeiçoado continuamente nos últimos anos. Há agora opções extraordinariamente melhoradas para medições de uma precisão incrível. Por exemplo, o caso do i.Profiler® by ZEISS, um equipamento incontornável no treinamento da próxima geração de ópticos. Ao mesmo tempo, estão a surgir no mercado muitos produtos novos, como soluções especializadas para lentes de óculos e armações. É cada vez mais necessário trabalhar com os usuários de óculos para analisar sua situação individual, a fim de identificar a melhor solução de visão. As inúmeras novas tecnologias tornam mais importante do que nunca uma consulta abrangente do consumidor! Nesse momento, em nossa instituição, cerca de 50% do exame final e de treinamento diz respeito à fabricação, enquanto os outros 50% dizem respeito à consulta.

A óptica oftálmica atualmente: Como a consulta óptica mudou nos últimos 10 anos

Heinrich Rath, mestre óptico oftálmico certificado, trabalha no setor há mais de 40 anos e detém muitas posições honorárias na profissão (Associação Central dos Óticos Alemães, União Nacional, etc.). Seu trabalho incide sobre o treinamento e a instrução contínua em óptica oftálmica. Há três anos que é professor do departamento de óptica oftálmica/acústica da audição na Universidade de Aalen.

MELHOR VISÃO: Quais são os novos produtos? Requerem uma consulta especial?


Volker Meyer:
A visão mudou e, naturalmente, que os fabricantes de óculos, como a ZEISS, reagiram, desenvolvendo soluções de visão adaptadas em conformidade. Computadores, smartphones e sistemas de navegação têm hoje um papel importante em nossa vida cotidiana. O resultado é uma maior diversidade das situações de visão. Nossos olhos alternam entre várias distâncias de visão com maior frequência e rapidez; visão de perto para ler, intermediária para computadores e sistemas de navegação e visão clara à distância, especialmente para dirigir. Isso também representa novas exigências, especialmente no que respeita a lentes progressivas, que oferecem a capacidade de ver a várias distâncias em uma única lente de óculos. A ZEISS desenvolveu lentes de óculos chamadas officelens, que podem ser otimizadas especificamente para distâncias de visão intermediárias com base nas necessidades particulares do consumidor. Tudo isto para garantir que o usuário de óculos tenha uma visão clara e relaxada feita à medida das suas situações visuais específicas.


Heinrich Rath:
É claro que isto significa que tenho de proporcionar aos usuários de óculos uma consulta muito específica. Um par de óculos não consegue atender a todas as necessidades e eu tenho de trabalhar de perto com os consumidores para determinar se precisam de mais um par de óculos para determinadas tarefas visuais, como sejam óculos de sol ou para praticar esporte.


MELHOR VISÃO: Será correto dizer que, o fato de a tecnologia ser melhor (p. ex. i.Profiler® e i.Terminal® da ZEISS), mudou a qualidade da consulta ou até a melhorou?


Volker Meyer: Os instrumentos de medição oferecem agora mais opções aos ópticos oftálmicos que as usam do que antes. O i.Profiler® nos permite fazer medições com a tecnologia de frente de onda. Isso nos dá um perfil exato de cada olho, ao mesmo tempo que nos mostra como se comporta a visão quando as pupilas estão muito dilatadas no crepúsculo e na escuridão. Com base nisto, podemos aprender muito, não apenas sobre a graduação, mas também sobre outros problemas de visão, como o início de cataratas. Se forem encontrados problemas deste último tipo nos olhos ou condições potenciais para tal, recomendamos que os consumidores visitem um oftalmologista.

i.Terminal® da ZEISS

i.Terminal® 2 da ZEISS

Heinrich Rath: Como ópticos oftálmicos, queremos ser o mais precisos possível, mas é claro que também queremos trabalhar de uma forma que os consumidores consigam entender. Afinal, o consumidor tem de saber exatamente o que recebe em troca de seu dinheiro. Usamos o i.Terminal® para encaixar as lentes nas armações. Nesta tarefa, todos os milímetros contam. Para tirar pleno partido das capacidades da lente e para garantir uma visão relaxada, é importante que o campo de visão do usuário de óculos de perto e a distâncias intermediária e longa passe pela área das lentes dos óculos concebidas para a respectiva distância.


As medições precisas são feitas com o equipamento apropriado. É claro que a competência e experiência do fator humano também conta muito. Como óptico oftálmico, tenho de estar em condições de ler e aplicar os dados medidos, selecionar o produto e o acabamento indicados, selecionar as armações com base nas necessidades de visão e ainda centrar e ajustar as armações de forma confortável e adequada no nariz e nas orelhas. Relativamente a este aspeto, tenho agora consideravelmente mais opções do que tinha há dez anos! A qualidade é conseguida com estes detalhes e é isso que distingue o mercado de óculos em massa ou encomendados via internet dos ópticos oftálmicos profissionais, que se concentram na qualidade.

i.Profiler® da ZEISS

i.Profiler® da ZEISS

MELHOR VISÃO: As pessoas vêem melhor agora do que antes?


Volker Meyer:
Sim! Ópticos oftálmicos como nós podem pôr os consumidores a ver melhor. Infelizmente, devido ao número crescente de óculos de produção barata, a visão também pode sair prejudicada. A tecnologia, o tempo para o ajuste preciso e o grau de personalização implicam mais custos do que as soluções simples. Os óculos nunca são um produto standard, mas sim sempre um produto individual.


Heinrich Rath: Sabemos que é assim pelo fato de não ser possível testar o produto antecipadamente. Os óculos têm de ser primeiro produzidos e depois têm de servir, é aí que está a arte. Se a coisa não funcionar e houver dores de cabeça, por exemplo, isso deve-se provavelmente a erros de ajuste de muitos parafusos pequenos. A causa pode estar também nas armações, como no caso de terem sido feitas anteriormente de metal, e serem mais leves, e agora serem de acetato, e serem muito pesadas. Também pode haver motivos psicológicos, para a pessoa não estar satisfeita com seus novos óculos.


Volker Meyer: E as pessoas também têm de se acostumar a seus primeiros óculos de lentes progressivas. Nosso cérebro também nos ajuda nisto! Depois de algum tempo, o cérebro sabe para que área dos óculos é preciso olhar para obter a melhor visão. Em contrapartida, uma pessoa também pode se acostumar à "visão incorreta". Neste caso, as pessoas podem ter dores nas costas devido a má postura ou por não explorarem todo o seu potencial de visão. Nós, os ópticos oftálmicos, temos de ser capazes de dar uma consulta personalizada para todos estes problemas.


Heinrich Rath:
Quando foram desenvolvidas as primeiras lentes progressivas, um conhecido professor disse: "As lentes progressivas não terão aceitação." Nessa altura, as lentes bifocais ainda estavam na moda; tinham duas áreas de lente em cada lente dos óculos e causavam o que é conhecido por deslocamento da imagem. As lentes progressivas não têm este problema, contudo, todas as lentes têm uma área opticamente indefinida. Esta área será maior ou menor em função da qualidade e do design da lente. É claro que o professor sabia deste problema, mas se esqueceu de tomar em consideração a capacidade de processamento de nosso cérebro. Afinal, visão física não é o mesmo que percepção. As lentes progressivas são agora as lentes de óculos mais indicadas para a presbiopia e são extremamente populares.


MELHOR VISÃO: Até onde acha que os próximos desenvolvimentos na área dos óculos irão levar?


Volker Meyer:
Os desenvolvimentos irão continuar em relação à qualidade das lentes de óculos e respectivo design. Contudo, a este respeito, ainda não chegamos ao fim. Temos também de conseguir melhorar cada vez mais as lentes progressivas. Também acho que irá acontecer algo na área dos materiais das lentes de óculos, que as tornarão mais finas e leves. Há ainda potencial de desenvolvimento na área das lentes de óculos de silicato, ou seja, lentes minerais.

Heinrich Rath: Também acho que irá haver desenvolvimentos relativos às lentes de óculos fotocromáticas, que mudam de cor automaticamente. Seria ótimo, um dia, conseguirmos ajustar a cor das lentes de óculos com um aplicativo em nossos smartphones...

Este website usa cookies. Cookies são pequenos arquivos de texto criados pelos websites e armazenados em seu computador. O uso de cookies é uma prática comum que permite melhorar o desempenho e a visualização dos sites. Ao navegar em nossos sites você está concordando com o seu uso. mais