Back To Top

Busca Lojas Conceito ZEISS e i.Terminal

Categoria

O que é daltonismo e o que as pessoas que tem essa doença podem fazer?

Um problema genético é motivo para que 180 milhões de pessoas no mundo inteiro sejam daltônicas. Médicos distinguem vários graus de severidade.

Na maioria dos casos a pessoa não consegue distinguir  as cores vermelho e verde, isso é denominamo daltonismo. Por sorte, os casos de daltonismo completo são raros, e ospacientes acometidos só conseguem distinguir vários graus de cinza. A condição é hereditária. Óculos e lentes de contato não ajudam, mas apresentamos a seguir algumas informações úteis

O que é daltonismo e o que as pessoas que tem essa doença podem fazer?

O que é daltonismo e o que as pessoas que tem essa doença podem fazer?

A maioria das pessoas considera normal a capacidade de enxergar a vida em cores . Elas cuidam para que as cores de suas roupas combinem, tem apetite quando vêem um delicioso morango vermelho e alegram-se com todas as cores da natureza. Mas para aproximadamente 180 milhões de pessoas no mundo essa percepção de cores fica parcialmente ou completamente oculta – elas tem uma deficiência em reconhecer outras cores que não o vermelho e o verde, sua capacidade de visualizar cores é fortemente reduzida ou em ocasiões muito raras não é possível distinguir nenhuma cor. Chamamos isso de daltonismo.

 

Pessoas com capacidade normal de visualização de cores misturam as três cores espectrais: vermelho, verde e azul, criando as demais cores. Responsáveis por isso são os cones, células sensoriais na retina. Trabalham somente durante o dia: à noite vemos tudo em cinza. Todavia, nem todo daltonismo é igual. Apesar de todos acreditarem ser o mesmo, o termo é usado para diferentes deficiências. Especialistas distinguem entre as seguintes condições:

Deficiência na visão de cores

Os pacientes que esse problema  apresentam uma habilidade limitada no reconhecimento de determinadas nuances. Todas as células sensoriais – os cones vermelhos, verdes e azuis – estão presentes na retina, mas somente alguns operam incorretamente, em geral os cones responsáveis pela visualização do verde. O termo técnico é deuteranomalia. Segundo os médicos, pessoas com deficiência de vermelho sofrem de protanomalia.

Daltonismo parcial

Nesse tipo de daltonismo faltam algumas células sensoriais. Pessoas acometidas possuem somente dois tipos de cones funcionando. Por consequência, a visualização de cores é significantemente reduzida. Isso por vezes pode ser perigoso para motoristas quando a habilidade de visualizar o vermelho for comprometida ou ausente. Quando há neblina, por exemplo, só enxergam preto ao invés da luz traseira vermelha do veículo que está à frente.

Daltonismo completo

Esse distúrbio conhecido como acromatopsia é muito raro. Pessoas com esse distúrbio não assimilam nenhuma nuance de cor. São também muito sensíveis à luz. Encontram-se sempre no "modo noturno" e só conseguem perceber contornos pouco nítidos no escuro.

Tanto o daltonismo congênito como a deficiência de visão de cor inata são causados por um defeito genético. Homens são acometidos muito mais frequentemente do que mulheres. A deficiência visual de reconhecimento de cores mais frequente adquirida é a visualização limitada de azul e amarelo. Muitas vezes ocorre em consequência a uma degeneração macular. Pessoas que não conseguem enxergar determinadas cores desde nascença, ou que apenas enxergam poucas cores, muitas vezes não tem consciência disso. O problema só é constatado quando o ambiente alerta para a questão.

Daltonismo pode ser diagnosticado com diferentes testes de cor, o que é importante, pois problemas podem ocorrer tanto na vida profissional como no trânsito. Os seguintes testes são possíveis:

Pranchas pseudoisocromáticas

Nesse teste são exibidos uma série de números sobre fundo colorido (muitas vezes em círculos). Pode, por exemplo, ser aplicado para detectar daltonismo vermelho-verde.

Procedimento de círculos coloridos Farnsworth

Nesse caso os pacientes classificam pedras de diferentes nuances. O teste é um pouco mais complicado. Pode ser usado para detectar uma deficiência de azul.

Anomaloscópio de Nagel

Aqui, o paciente usa um dispositivo de teste de cor circular para misturar e especificar as nuances de cores variáveis. Com isso, pode obter informações sobre o grau de daltonismo. Esse é o melhor método para diagnosticar a ausência de vermelho. Pode ser critério de exclusão para algumas profissões como pintor, motorista de ônibus ou piloto.

Até o momento não é possível corrigir daltonismo com óculos ou lentes de contato. Óculos especiais permitem alterar somente o contraste de cor, não a visão. Mesmo assim, temos uma dica valiosa para todas as pessoas completamente daltônicas: para eles há óculos especiais com lentes vermelhas. Essas lentes defletem o ofuscamento da luz do dia melhor do que óculos comuns ou óculos de sol.

Artigos relacionados

Como a visão em cores funciona?
Quando os óculos ficam muito apertados. As melhores dicas para uma visão confortável e o ajuste perfeito.
Por que as pessoas enxergam de modo diferente?
Compreendendo a Visão: Pesquisa da ZEISS sobre os Processos Fundamentais da Visão
Uma checklist ao comprar novos óculos
 

Este website usa cookies. Cookies são pequenos arquivos de texto criados pelos websites e armazenados em seu computador. O uso de cookies é uma prática comum que permite melhorar o desempenho e a visualização dos sites. Ao navegar em nossos sites você está concordando com o seu uso. mais

OK